agronegócio. balança comercial. exportação. farming brasil

Faturamento do setor agropecuário deve crescer 4,7% em 2016

Resultado será puxado pela agricultura, que terá alta de 7,7% na receita

O Valor Bruto da Produção do setor agropecuário, no qual é calculado o faturamento bruto da atividade rural “dentro da porteira”, deve crescer 4,7% em 2016 na comparação com o ano passado, totalizando R$ 559, 9 bilhões. O resultado será puxado pela agricultura, que terá alta de 7,7% na receita (R$ 360,5 bilhões), segundo a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). O VBP da pecuária será praticamente estável em relação a 2015, ficando em R$ 200,1 bilhões.

 

Para o cálculo do VBP, o Núcleo Econômico da CNA levou em conta as estimativas de produção e os preços de março. De acordo com a entidade, das 20 culturas agrícolas que fazem parte do levantamento, 12 devem ter alta no faturamento, com destaque para a soja, milho, café e laranja. A projeção para a soja, que tem participação de 23,6% no VBP, é de alta de 5,7% no faturamento, que chegará a R$ 132,1 bilhões. O resultado é atribuído principalmente ao aumento de 5,1% na produção, pois os preços devem ter leve alta, de 0,5%.

 

A receita do milho terá elevação de 33,5% e deve alcançar a cifra de R$ 58,8 bilhões. Já o café deve ter alta de 15,2% na sua projeção para o VBP em relação ao ano passado, subindo para R$ 24,1 bilhões. “A estimativa de boa safra em 2016, 13,6% superior à do ano passado, e melhores cotações em decorrência da desvalorização cambial, impulsionaram o resultado do setor”, destaca o estudo técnico da CNA. O faturamento da laranja chegará a R$ 5,6 bilhões, 8,8% a mais do que em 2015.

 

Para os produtos da pecuária, cujo crescimento do VBP será praticamente nulo, apenas o leite deve ter alta, de somente 1%. “A estimativa é de que o aumento no faturamento se dê moderadamente por meio da ampliação da produção, enquanto os preços devem permanecer em patamares semelhantes ao ano anterior”, informa o Núcleo Econômico da CNA. Carne bovina, ovos e suínos estão com previsões de queda de 0,7%, 0,4% e 7%, respectivamente.

 

 

Deixe seu comentário

Leia mais