DATA: 07/01/2016

Falta de chuvas prejudica lavouras de café e preços aumentam

A média do Indicador do arábica tipo seis bebida dura para melhor foi 2,11% superior em dezembro; para o robusta, dezembro foi o sétimo com altas consecutivas

Apesar da baixa liquidez durante a maior parte do mês de dezembro, os preços internos do café arábica e do robusta avançaram. Mas apenas nos primeiros dias do mês o volume de negócios esteve maior. Além das festas de final de ano, previsões de clima favorável em regiões produtoras de arábica e oscilações do dólar também refletiram em uma retração por parte dos agentes.

 

Arábica

Segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), a média do Indicador do arábica tipo seis bebida dura para melhor, posto em São Paulo, foi de R$ 479,32 por saca de 60 quilos em dezembro, 2,11% superior à de novembro de 2015 e 5,3% acima da de dezembro de 2014.

 

Robusta

Para o café robusta, o mês de dezembro foi o sétimo com altas consecutivas dos valores médios. O clima no Estado do Espírito Santo, principal produtor, segue desfavorável ao enchimento de grãos e prejudicando as condições das lavouras.

 

Tempo desfavorável

O volume de chuva verificado neste início de ano em algumas regiões produtoras ainda não é suficiente para recuperar o cafezal. “A média de dezembro do Indicador Cepea/Esalq do robusta do tipo seis peneira 13, de R$ 378,98 por saca, foi a maior da série Cepea (iniciada em 2001) em termos nominais e 1% superior à de novembro. O tipo 7/8 bica corrida teve média de R$ 367,55 por saca, avanço mensal de 0,76% – ambos a retirar no Espírito Santo”, diz o Cepea.

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.

Leia mais