Algodão

Exportações da pluma de algodão devem aumentar neste ano

No lado da demanda, indústrias nacionais consultadas pelo Cepea indicam dificuldade em absorver o aumento nos custos de produção ocorridos em 2015

Em 2016, o preço da pluma de algodão poderá seguir firme no Brasil. No primeiro semestre, a cotação pode encontrar suporte no dólar elevado, o que favorece as exportações brasileiras, por conta do recuo na venda doméstica e do bom volume já comercializado na safra 2014/2015.

 

Algo que pode influenciar também o preço interno nos primeiros meses deste ano é a baixa disponibilidade da pluma de tipos acima do 41-4. No segundo semestre, espera-se uma queda nas ofertas brasileira e mundial da safra 2015/2016, cenário que pode deixar a relação suprimento/demanda mais ajustada.

 

Segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), já no lado da demanda, indústrias nacionais consultadas pelo Cepea indicam dificuldade em absorver o aumento nos custos de produção ocorridos em 2015, especialmente da matéria-prima e de energia.

 

No atual cenário, e considerando-se as fragilidades econômicas e política nacionais, compradores devem estar ainda mais cautelosos nas aquisições. Nos grandes Estados produtores, a área de cultivo deve diminuir, especialmente na Bahia, em consequência do aumento dos custos de produção da safra 2015/2016 e à dificuldade na obtenção de crédito.

 

Tradings, por sua vez, que adquiriram pluma das safras 2014/2015 e 2015/2016 antecipadamente, esperam maiores preços para 2016. Dados da Companhia Nacional de Abastecimento, divulgados em dezembro do ano passado, estimam queda de 3,8% na produção brasileira de pluma na safra 2015/2016 frente à temporada anterior, com o total estimado em 1,503 milhão de toneladas. ”A redução na área plantada deverá ser de 1,6% frente à temporada 2014/15, passando para 960,6 mil hectares”, diz o Cepea.

 

Deixe seu comentário