Fruticultura
DATA: 02/03/2016

Exportações brasileiras de frutas devem atingir US$ 1 bilhão até 2018

As vendas externas de frutas apresentaram bom desempenho no ano passado

As exportações brasileiras de frutas podem atingir, até 2018, US$ 1 bilhão, com crescimento anual médio de 3,5%, segundo informou, na terça-feira (01/03), o presidente da Associação Brasileira de Produtores e Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas), Luiz Roberto Barcelos, durante encontro com o presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins.

 

Mesmo com as dificuldades conjunturais enfrentadas pela economia brasileira, disse Roberto Barcelos, as vendas externas de frutas apresentaram bom desempenho no ano passado: receita de US$ 735 milhões de toneladas e crescimento de 3,8% em comparação com 2014 (US$ 708 milhões).

 

O presidente João Martins destacou a relevância da parceria entre a CNA e a Abrafrutas, que comemora neste mês dois anos de existência. Para o presidente da Associação, a atuação conjunta permitiu a valorizar e o fortalecer o segmento com o trabalho adicional da Comissão Nacional de Fruticultura da CNA. Um dos resultados mais importantes da parceria, afirmou Luiz Roberto Barcelos, foi o projeto de promoção das exportações de frutas firmado com Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex), com recursos no valor de R$ 4,2 milhões a serem aplicados no período 2014/2016, visando promover a abertura de novos mercados externos para a fruta brasileira.

 

Outra ação conjunta entre a CNA e Abrafrutas, de grande importância para o setor, foi a criação do Programa Nacional de Combate a Mosca-das-Frutas, lançado no ano passado. O objetivo estratégico é o de monitorar, controlar e erradicar as principais espécies de mosca-das-frutas que têm provocado sérios prejuízos ao produtor. No total, serão investidos, por meio do programa, R$ 128 milhões, até 2018. Com esse investimento, a Abrafrutas espera aumentar a qualidade da fruta brasileira e, em consequência, estimular o consumo tanto interno quanto externo.

 

Controle de pragas

A CNA e Abrafrutas trabalham também na criação de um Centro de Controle Biológico da chamada MOSCASUL (Anastrepha Fraterculus). Os recursos financeiros necessários para o início do projeto já foram liberados pela Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo, órgão subordinado ao MAPA. O Centro de Controle Biológico iniciou suas atividades sob a coordenação da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Uva e Vinho).

 

Em documento entregue pelo presidente da Abrafrutas a João Martins, foi destacado ainda a parceria com a CNA no encaminhamento de soluções para a crise hídrica ocorrida no Vale do São Francisco, onde a falta de chuvas ameaçou inviabilizar a  produção de frutas na área. A solução foi encontrada com a participação do Ministério da Integração a partir do uso de bombas flutuantes que bombearam água do meio do reservatório até as estações de bombeamento dos perímetros.

 

Outra ação importante, sempre com a colaboração da CNA, foi o lançamento da marca “Frutas do Brasil – Gifted by the Sun”, marca setorial da Abrafrutas voltada para o mercado externo.  A Abrafrutas e a CNA conseguiram, quando da renovação do Sistema Geral de Preferência (SGP), dos Estados Unidos, a manutenção das frutas frescas brasileiras entre os produtos beneficiados. Em consequência dessa ação, houve redução tarifária para as exportações brasileiras de melão, papaya, manga, citrus e limão, para aquele país.

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.

Leia mais