Estudo detalha fatores climáticos para a safra de verão

Predominância de alterações climáticas positivas em Mato Grosso acabou antecipando o plantio do milho segunda safra

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou, nesta quarta-feira (23/03), o 3º Boletim de Monitoramento Agrícola deste ano. O estudo é voltado à safra de verão (2015/2016) e avalia as condições atuais das lavouras em decorrência de fatores agronômicos e climáticos.

 

Nesta edição, o Boletim confirma que a predominância de alterações climáticas positivas em Mato Grosso acabou antecipando o plantio do milho segunda safra, que, até o período do monitoramento, estava mais adiantado do que no ano anterior, e garantiu condições favoráveis para as lavouras da região. Em Goiás, os dados de satélite indicam também bom padrão na região sul do Estado, com o milho segunda safra apresentando um bom desenvolvimento. No caso de Mato Grosso do Sul, o predomínio de anomalias negativas no mapa climático da região sudoeste do Estado mostra que as atuais lavouras responderam com padrão inferior ao ano passado, em decorrência do excesso de chuvas que está atrasando a safra.

 

Já o estado do Paraná possui dinâmica agrícola diversificada. Pelas imagens de satélite é possível observar que a safra está mais adiantada no centro e no sul do Estado, e um pouco menos adiantada no norte e nordeste. No Rio Grande do Sul, o clima tem contribuído para o bom desenvolvimento das lavouras, o que pode ser confirmado pelo Índice de Vegetação superior aos anos anteriores nos períodos mais recentes. Já na região do Matopiba, que abrange os estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, a falta de chuvas prejudicou as lavouras e pode comprometer, principalmente, os cultivos de primeira safra.

 

Os recursos técnicos utilizados são as imagens de satélites, do período de 18 de fevereiro a 12 de março, e de anos anteriores nesse mesmo período. Além de auxiliar nas estimativas de safra, o monitoramento também é utilizado como apoio às análises de mercado e gestão de estoques.

 

Deixe seu comentário

Leia mais