Arroz

Embrapa lança variedade de arroz japônico adaptada às condições de Roraima

A BRS 358 possui produtividade média de 6 a 7 toneladas por hectare e ciclo precoce de 110 dias

A Embrapa Roraima lançou, no dia 12/03, a cultivar de arroz irrigado para a culinária japonesa, a BRS 358. A variedade é fruto de cinco anos de pesquisa da Empresa e é uma oportunidade de negócio e de diversificação da produção para os rizicultores do estado.

 

Desenvolvida para ser cultivada em várzeas sob regime de irrigação por inundação continua, a BRS 358 possui produtividade média de 6 a 7 toneladas por hectare e apresenta arquitetura de planta moderna. Possui ainda ciclo precoce de 110 dias até a colheita, resistência ao acamamento, boa tolerância a doenças e qualidade de grãos favoráveis à culinária japonesa, principalmente para a preparação de sushi.

 

Para o pesquisador da Embrapa Roraima e um dos coordenadores do projeto de melhoramento, Antônio Carlos Cordeiro, investir em tipos alternativos de grãos pode ajudar a agregar valor a produção regional.  Isso porque o Estado já possui uma cadeia produtiva do arroz estabilizada, que abastece o mercado interno e permitir exportação para outros estados.

 

“As agroindústrias locais comercializam basicamente o arroz branco de classe longo-fino, mas podem ter na diversificação de tipos de grãos, como os demandados para a culinária japonesa, uma oportunidade de aumentar a renda, já que o preço do arroz japônico chega a ser duas a três vezes superior ao arroz comum”, explica Cordeiro.

 

O pesquisador lembra ainda que Roraima apresenta excelente vocação para o cultivo de arroz, principalmente o arroz irrigado, que é desenvolvido em várzeas (áreas próximas aos rios), com possibilidades de cultivo de mais de uma safra por ano, o que é um diferencial em relação à outras regiões de cultivo tradicionais do país. Hoje existem no Estado cerca de 6 agroindústrias, comercializando 6 marcas de arroz produzidas localmente.

 

Sementes

A BRS 358 é recomendada parta cultivo em Goiás, Roraima, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo, Tocantins, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina. As maiores produtividades de grãos foram obtidas nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Roraima

 

Deixe seu comentário