Embrapa lança materiais de referência para controle de qualidade

No Brasil, ainda são poucos os padrões disponíveis para o setor agropecuário e geralmente são importados pelos laboratórios a um custo elevado

A Embrapa Pecuária Sudeste (SP) acaba de lançar dois materiais de referência (MR) que vão auxiliar no controle de qualidade de laboratórios agropecuários de todo o Brasil.

 

Trata-se de padrões cujas composições são conhecidas com exatidão e assim testam a acurácia das análises laboratoriais, eles podem ser dos mais diversos tipos e servem para aferir a precisão e a qualidade de processos, equipamentos e instrumentos. Um dos materiais recém-desenvolvidos serve de padrão para análises de solo e o outro, amostra de fígado bovino, atende analistas de nutrição animal. Eles se somam a dois materiais que a mesma Unidade lançou há dois anos: suplemento mineral para bovinos e do capim de Brachiaria brizantha cv. Marandu.

 

De acordo com a pesquisadora Ana Rita Nogueira, os materiais de referência são usados para garantir que medidas químicas sejam comparáveis entre laboratórios e assegurar resultados uniformes e confiáveis. “A precisão de resultados é essencial para a segurança, principalmente quando se trata de alimentos. Os materiais de referência são uma medida-padrão. Resultados podem ser obtidos por diferentes laboratórios e comparados pelo valor conhecido da medida-padrão, assim como o metro e o quilo”, diz a pesquisadora Ana Rita Nogueira.

 

O desempenho da produção agropecuária no País depende de informações fornecidas pelos laboratórios. A segurança dos alimentos que chega à mesa do consumidor é resultado de vários processos de avaliação. Em todas as etapas existe a necessidade de análises químicas, importantes para averiguar a qualidade nutricional e detectar a presença de contaminantes.

 

De acordo com a pesquisadora, os materiais de referência são usados para garantir que medidas químicas sejam comparáveis entre laboratórios e assegurar resultados uniformes e confiáveis. “A precisão de resultados é essencial para a segurança, principalmente quando se trata de alimentos. Os materiais de referência são uma medida-padrão. Resultados podem ser obtidos por diferentes laboratórios e comparados pelo valor conhecido da medida-padrão, assim como o metro e o quilo”, explica Ana Rita.

 

Redução de Custos

No Brasil, ainda são poucos materiais disponíveis, principalmente para o setor agropecuário. Geralmente são importados pelos laboratórios a um custo elevado. Por exemplo, 20 gramas do material de referência certificado de fígado bovino, usado para verificar o desempenho de análise de alimentos, produzido pelo National Institute of Standards and Technology (NIST) tem um custo de U$550,00 nos Estados Unidos.

 

No entanto, com impostos e taxas de importação, o valor é ainda maior. A espera pelo produto também é relativamente longa, cerca de 60 dias, e o processo não é simples, existem dificuldades e restrições legais à importação. Outro problema é que muitas vezes possuem características distintas e não adequadas para atender às necessidades brasileiras. Assim, os materiais produzidos pela Embrapa garantem redução de custos para os laboratórios agropecuários e ainda atendem a exigências específicas.

 

Para a gerente da qualidade Maura Amparo, do Laboratório Exata, com o dólar em alta, é inviável hoje a aquisição desses produtos. Em 2014, última compra feita pela empresa, 50 gramas de MRC Soy Flour (farinha de soja) foram adquiridas a um custo de R$ 5.364,56.  “Atualmente, com o preço do dólar, o valor final chegaria a R$ 6 mil”, diz. Maura também destaca a complexidade do processo de importação, cheio de burocracia e demora na entrega. O laboratório, que fica em Jataí, no Estado de Goiás, utiliza os materiais da Embrapa disponíveis. Além disso, participa dos ensaios colaborativos para validar novos produtos em desenvolvimento.

 

A aquisição de 50 gramas de MR de solo custou ao Instituto Federal da Bahia (IFBA), campus de Valença, cerca de R$ 6 mil, por causa dos altos valores pagos pela importação desse tipo de produto. Para o especialista Caio Gromboni, apesar de o consumo na instituição não ser muito elevado, dependendo dos projetos em andamento, o MR de solos da Embrapa propicia economia ao IFBA, além de atender às necessidades específicas do instituto.

 

A Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) também recebeu materiais de referência da Embrapa. De acordo com a pesquisadora Ângela Fonseca Rech, da Estação Experimental de Lages (SC), os materiais são utilizados para garantir a qualidade analítica do laboratório de pesquisa em nutrição animal (LNA) da instituição. “Com eles verificamos exatidão dos resultados das análises. Antes trabalhávamos apenas com padrões internos. Porém, avaliávamos somente a precisão dos resultados, não tínhamos como avaliar a exatidão”, explica Ângela.

 

 

O desenvolvimento de materiais de referência, além de atender à demanda brasileira e diminuir custos e importações, é um avanço estratégico. É importante ter controle do processo de produção e que ele seja continuamente aprimorado para atender às necessidades específicas brasileiras.

 

Materiais de Referência

A avaliação dos teores de contaminantes na área agropecuária, como em solo e plantas, permite verificar se existe algum risco de incorporação de elementos tóxicos na cadeia alimentar, de uma forma geral.

 

No caso dos primeiros materiais de referência produzidos em 2013, de braquiária e de suplemento mineral, cerca de 30 instituições públicas e privadas receberam as amostras. Os materiais de referência são disponibilizados gratuitamente a interessados. A solicitação deve ser feita online no endereço.

 

Os dois novos materiais também estão à disposição dos laboratórios. Base para a produção agrícola, a demanda por análises de solo é grande. O material produzido se destina principalmente a laboratórios que executam análises ambientais, uma vez que apresenta teores conhecidos de contaminantes e macro e micronutrientes presentes no solo.

 

Já o de fígado bovino possibilita aos laboratórios que executam análises em alimentos, tais como carnes, avaliar a qualidade dos resultados obtidos e, se necessário, executar ações reparadoras imediatas.

 

Deixe seu comentário

Leia mais