Embrapa lança livro sobre o potencial das palmeiras

No Brasil, existem mais de 250 espécies, mais da metade delas na Amazônia e o restante nas outras regiões do País

As palmeiras estão entre os grupos de plantas mais importantes para os humanos. Delas podem ser obtidos alimentos, material para construção civil, utensílios diversos, bijuterias de luxo, óleo para uso medicinal e energético, lubrificantes e muitos outros produtos industrializados. Além disso, elas têm lugar de destaque em projetos de paisagismo e na recuperação de ambientes degradados.

 

Mas há muito mais para se saber sobre as palmeiras. No livro Palmeiras nativas do Brasil, uma produção editorial da Embrapa Amazônia Ocidental (Manaus, AM) e Embrapa Informação Tecnológica (Brasília, DF), estão conhecimentos botânicos, genéticos, cultivo e processamento da produção de palmeiras nativas das diferentes regiões do país.

 

No Brasil são relatadas mais de 250 espécies de palmeiras, mais da metade delas ocorre na Amazônia e o restante está distribuído por todas as regiões do país. Elas se adaptam a condições de clima semidesértico, temperado e principalmente ao clima equatorial quente e úmido, como em diferentes tipos de solos, que vão desde os pobres em nutrientes, ácidos até os encharcados.

 

Mercado promissor

Açaí, babaçu, macaúba, butiá, pupunha e inajá estão entre as doze espécies tratadas na publicação, as quais são exploradas com diferentes níveis tecnológicos, do extrativismo ao cultivo, aplicando-se práticas modernas de manejo. A escolha dessas espécies partiu da demanda de mercado e pelo potencial que elas apresentam como novas opções para os agricultores, valorizando a biodiversidade do país, com geração de emprego e renda, a partir de sistemas de produção sustentáveis.

 

A Embrapa vem trabalhando na pesquisa de palmeiras nativas há algumas décadas. Para Ricardo Lopes, um dos editores do livro e pesquisador da Embrapa Amazônia Ocidental, “o potencial de produção dessas espécies, sem abrir mão da sustentabilidade, só poderá ser alcançado com investimentos em pesquisa e desenvolvimento tecnológico”.

 

Ricardo reforça que, “apesar de existir no Brasil mais de 250 espécies de palmeiras nativas, a pesquisa tem priorizado pouco mais de uma dezena. Com este livro queremos demonstrar a importância de estender essa fronteira para novas pesquisas desse importante grupo de plantas, gerando outras opções de exploração agrícola sustentável para o país”.

 

Além de informações detalhadas sobre cultivos, produção de sementes e mudas, armazenamento, plantio, adubação, colheita e processamento, os treze capítulos do livro são amplamente ilustrados com tabelas, gráficos e fotografias, permitindo ao leitor uma melhor identificação das plantas, dos frutos, bem como de pragas e doenças.

 

Ao abordar os avanços proporcionados pela pesquisa da Embrapa e de outras instituições brasileiras, o livro é uma referência para pesquisadores, professores e estudantes, mas Palmeiras nativas do Brasil também é de interesse de outros públicos, como produtores, engenheiros florestais, paisagistas e admiradores dessas espécies, que no passado inspiraram poetas como Machado de Assis e Gonçalves Dias.

 

O livro Palmeiras Nativas do Brasil está disponível para venda na Livraria Embrapa (www.embrapa.br/livraria), por R$ 49,00, a preço promocional, com 30% de desconto. Mais informações podem ser obtidas também pelo telefone (61) 3448-4236 ou Fax (61) 3448-2494.

 

Deixe seu comentário