Embrapa lança livro gratuito sobre bactérias que ajudam o feijoeiro

As bactérias são capazes de aumentar os teores de fósforo e nitrogênio na planta, em solos não fertilizados com estes nutrientes

Uma equipe de pesquisadores realizou um estudo que avaliou os efeitos da inoculação do feijoeiro com bactérias promotoras de crescimento de plantas, em solo com baixa disponibilidade de fósforo. O estudo “Bactérias promotoras de crescimento do feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.).” foi publicado pela Embrapa Meio Ambiente e pode ser acessado aqui.

 

Conforme a pesquisadora Embrapa Meio Ambiente (Jaguariúna, SP) Rosana Vieira, uma das autoras do trabalho, os microrganismos utilizados neste trabalho foram isolados próximo às raízes de feijão, em quatro tipos de solo. Um total de 360 bactérias foi selecionado quanto à capacidade para produzir fito hormônios e de solubilizar fosfato. Os resultados demonstraram que algumas das bactérias foram capazes de aumentar os teores de fósforo (P) e de nitrogênio (N) na planta, em solos não fertilizados com estes nutrientes. E em todos os tratamentos, o feijoeiro foi cultivado na presença e ausência de fertilização fosfatada.

 

O feijoeiro tem especial importância para a agricultura brasileira por sua relevância na dieta da população e pelo país ser um dos maiores produtores e consumidores do mundo. A produção desta leguminosa atinge, aproximadamente, três milhões de toneladas por ano, com consumo médio na ordem de 17,5 kg por habitante por ano.

 

Com maior ou menor expressão e com os mais variados sistemas de produção, o feijoeiro é cultivado em praticamente todos os Estados brasileiros. De acordo com a pesquisadora, a evolução das práticas culturais permitiu ganho expressivo na produtividade do feijoeiro. Em Estados onde médios e grandes agricultores utilizam tecnologias mais avançadas, a produtividade pode superar os 2.000 quilos por hectare.

 

O feijoeiro é uma cultura exigente do ponto de vista nutricional, em decorrência, principalmente, do seu sistema radicular reduzido, além de apresentar um ciclo curto, que varia de 90 a 100 dias. Muitos trabalhos de pesquisa sobre adubação do feijoeiro comum demonstram que a resposta dessa cultura à aplicação de fertilizantes nitrogenados e fosfatados é alta, comparados a outros nutrientes. Entretanto, ainda existe um grande contingente de agricultores de subsistência, caracterizado pelo baixo uso de recursos tecnológicos, como, por exemplo, aplicações de fertilizantes, que aumentam o custo de produção.

 

A publicação “Bactérias promotoras de crescimento do feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.).” – (Série Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento, 64), é de autoria de Rosana Faria Vieira, Adriana Parada, Vera Ferracini e Ricardo Pazianotto.

 

Deixe seu comentário

Leia mais