DATA: 15/09/2015

Embrapa lança cultivar de café conilon para Rondônia

Adaptada ao clima e ao solo da região Amazônia Ocidental, a BRS Ouro Preto pode render 70 sacas de café conilon por hectare

Uma nova cultivar de café, desenvolvida pela Embrapa em parceria com o Consórcio Pesquisa Café, promete alavancar a produtividade da cafeicultura em Rondônia. Enquanto a média de produção do Estado é de 21 sacas por hectare, a variedade BRS Ouro Preto pode render 70 sacas por hectare ou mais de 110 sacas por hectare com a irrigação.

A cafeicultura de Rondônia, que é o segundo maior produtor de café conilon do País, teve aumento de 35% na produção desde 2012 e deve receber um impulso considerável nos próximos anos. Para o pesquisador e economista da Embrapa, Samuel Oliveira, ao analisar uma perspectiva de impacto da inserção da BRS Ouro Preto no mercado, calculando uma produtividade média chegando a 35 sacas por hectare (metade do potencial da cultivar) nos 90 mil hectares do grão cultivados em Rondônia, pode-se chegar a mais de três milhões de sacas de café – um aumento considerável, já que a produção atual é de 1,9 milhão de sacas. Isto é possível considerando o menor custo de produção em relação a outras regiões grandes produtoras, como o Espírito Santo.

“A BRS Ouro Preto, único material registrado para o cultivo na Amazônia, dará uma importante contribuição, propiciando o aumento da produtividade da cafeicultura no Estado”, destaca Oliveira. Esta previsão não considera o aumento do número de cafeicultores em Rondônia, que é de 22 mil atualmente, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

A cafeicultura de Rondônia passa por importantes transformações. Entre 2011 e 2015, a área plantada diminuiu de 150 mil para 90 mil hectares, a produção evoluiu de 1,4 para 1,8 milhão de sacas e a produtividade, de 9 para 21 sacas por hectare e hoje já se aproxima da média nacional para o café conilon, de 26 sacas por hectare, de acordo com dados da Conab.

 

BRS Ouro Preto: primeira cultivar de café da Embrapa

A cultivar de café Conilon BRS Ouro Preto (Coffea canephora Pierre ex Froehner), a primeira lançada pela Embrapa no Brasil, é resultado de pesquisa conduzida pela Embrapa Rondônia e o Consórcio Pesquisa Café. Também é a primeira cultivar de café conilon do Brasil a receber o Certificado de Proteção, concedido pelo Serviço Nacional de Proteção de Cultivares, vinculado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Recomendada para Rondônia e região da Amazônia Ocidental, a cultivar possui 15 clones e foi obtida pela seleção de cafeeiros com características adequadas às lavouras comerciais do estado e adaptada ao clima e ao solo da região. Sua denominação é uma homenagem ao município de Ouro Preto do Oeste, centro pioneiro da colonização oficial do antigo território de Rondônia.

A comercialização da BRS Ouro Preto é realizada apenas por viveiristas credenciados pelo Mapa, de maneira que a qualidade da cultivar seja mantida e entregue ao cafeicultor. Os viveiristas e seus contatos podem ser obtidos no Portal da Embrapa.

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.

Leia mais