DATA: 10/12/2015

Embrapa apresenta duas novas variedades de maracujá no Acre

Os dois maracujazeiros apresentam maior rendimento de polpa e produzem mais que as variedades cultivadas na região

Na quarta-feira (09/12), a Embrapa apresentou duas novas variedades de maracujá que foram testadas no Acre: BRS Gigante Amarelo e  BRS Sol do Cerrado.  A apresentação aconteceu na propriedade do agricultor João Edivan Monteiro, onde foram conduzidos os experimentos. Os dois maracujazeiros apresentam maior rendimento de polpa e produzem mais que as variedades cultivadas na região.

 

Atualmente, a média de produtividade de maracujá no Acre é de oito toneladas por hectare. No primeiro ano de cultivo, o BRS Gigante Amarelo rendeu 47 toneladas por hectare e o BRS Sol do Cerrado, 40 toneladas por hectares. “Além disso, as variedades recomendadas pela Embrapa apresentam 45% de rendimento de polpa, os frutos pesam, em média, 250 gramas. A média do rendimento de polpa das variedades mais comuns do Acre ficam em torno de 33%, e as plantas geram frutos com 150 gramas”, afirma o pesquisador Romeu de Andrade Neto.

 

O agricultor Germano Knopf, que acompanhou os experimentos, confirma a informação. “Se for vender a polpa para as agroindústrias, é bom usar essas variedades da Embrapa. O BRS Gigante Amarelo, apesar de possuir a casca um pouco mais fina, é excelente para a produção de polpas”, conta.

 

Andrade Neto explica que esse rendimento só foi possível porque foram adotadas as técnicas de manejo do maracujazeiro, como a correção e preparo do solo, irrigação na época seca, fertilização, controle de pragas e doenças, podas e polinização manual. “É fundamental adotar essas medidas para se obter uma boa produtividade, como a que obtivemos em Senador Guiomard”, diz.

 

Em 2012, a Embrapa Acre instalou um experimento na propriedade de Monteiro, em Senador Guiomar, com seis variedades de maracujás, entre híbridos desenvolvidos pela Embrapa e variedades locais. A BRS Gigante Amarelo e a BRS Sol do Cerrado se destacaram e foram recomendadas para o cultivo na região.

 

As variedades foram desenvolvidas por meio do Programa de Melhoramento Genético do Maracujá, coordenado pela Embrapa Cerrados, que realiza pesquisas desde 1990 para obtenção de variedades mais produtivas e resistentes a pragas e doenças.

 

O Acre possui 101 hectares de maracujá. “A produção local não é suficiente para atender o mercado consumidor. O Estado apresenta condições ideais de clima e solo para cultivo. Aqui é possível produzir a fruta nos 12 meses do ano, enquanto que no Sul e Sudeste a produção se concentra em seis meses apenas, dependendo do local”, conta.

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.