DATA: 20/10/2015

Emater investe no processamento de jabuticaba em Hidrolândia

O doce é bastante apreciado e a procura tende a crescer no mercado de consumo

O processamento da jabuticaba em Hidrolândia, a cerca de 20 quilômetros de Goiânia, tornou-se uma prática comum da comunidade local, com o apoio da Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater). A instituição tem ministrado cursos a um público específico, mostrando que a fruta, tão apreciada na degustação, pode agregar valor, formar multiplicadores, gerar trabalho e renda. O doce é bastante apreciado e a procura tende a crescer no mercado de consumo.

 

O mais recente curso para ensinar a tecnologia de processamento da jabuticaba foi realizado pela Emater entre os dias 6 e 9 de outubro para beneficiários da Associação Fraterna Enoque Martins (Afemcean), entidade filantrópica com sede na Vila Grimpas, em Hidrolândia. Os participantes aprenderam como se processa os derivados da jabuticaba ao gosto do público, como geleia, compota, doce de casca e casca cristalizada.

 

O curso foi ministrado pela instrutora Alenir Batista de Souza, do Escritório Local da Emater. O encerramento contou com a participação do chefe local da Emater, Clenon Aguiar de Magalhães, e da vice-presidente da Afemcean, Isabelle Póvoa.

 

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.