Maracujá

Emater incentiva desenvolvimento da fruticultura no Paraná

Ao todo, a atividade ocupa 1.865 hectares e envolve 1.161 produtores. A maior área é ocupada pela goiaba, com 359,42 hectares

A Emater está incentivando a fruticultura em alguns municípios do Paraná. O projeto nasceu em 2014, após a realização de um seminário sobre diversificação de culturas em Jacarezinho. Na ocasião, o cultivo de maracujá e abacaxi ganhou o apoio de algumas prefeituras. Em Jacarezinho, foram escolhidos oito produtores que receberam da administração municipal os insumos necessários para o cultivo. Os produtores entraram com a mão de obra e a propriedade. As lavouras foram acompanhadas pela equipe técnica e os produtores passaram a vender a produção em feiras livres do município e da região.

 

Em Santana do Itararé, o maracujá é a principal fruta cultivada e vem trazendo aos pequenos produtores uma nova fonte de renda e trabalho. Um exemplo é André Pedro de Carvalho, que até pouco tempo atrás trabalhava com a pecuária leiteira. No entanto, a alta dos custos de produção o levaram a buscar uma alternativa. Hoje ele tem aproximadamente um hectare em início de produção.

 

Na área anteriormente ocupada pelos piquetes, Carvalho implantou o maracujá que já rendeu bons lucros para o produtor. Com o resultado alcançado Carvalho pretende ampliar o cultivo, o que não fez ainda em virtude da escassez de mão de obra na região. O agricultor atualmente tem uma propriedade diversificada com o cultivo de milho, soja e maracujá.

 

Atualmente a fruticultura está presente em 18, dos 23 municípios da região do Norte Pioneiro. Ao todo, a atividade ocupa 1.865 hectares e envolve 1.161 produtores. A maior área é ocupada pela goiaba, 359,42 hectares. Mas é o morango que concentra o maior número de produtores, 231. Na região, são cultivadas 22 espécies diferentes de frutas. Entre elas estão a lichia, a pera, o figo, a melancia e o caqui. Até 2018, os técnicos do Instituto Emater pretendem aumentar a área de fruticultura da região em 844 hectares, bem como melhorar os índices de produtividade dos pomares.

 

Deixe seu comentário