Suínos
DATA: 13/01/2016

Em 2015 foram embarcadas 555,1 mil toneladas de carne suína

Somente no mês de dezembro, foram 46,3 mil toneladas exportadas

As exportações brasileiras de carne suína (considerando todos os produtos, entre in natura e processados) acumularam crescimento de 9,7% em 2015 na comparação com o ano anterior, chegando a 555,1 mil toneladas embarcadas nos doze meses do ano.

 

De acordo com a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), com o resultado, o setor manteve uma média mensal de embarques de 45,5 mil toneladas.  Somente no mês de dezembro, foram 46,3 mil toneladas exportadas, volume 17,6% superior ao registrado no décimo segundo mês de 2014.

 

“Os volumes embarcados em dezembro superaram nossos indicativos iniciais para o mês. Isto aponta para um ano novo com fluxos positivos, visto que temos, agora, novas plantas habilitadas para a China e a expectativa de viabilização dos embarques para a Coreia do Sul, somadas aos fortes negócios que já mantemos com o Leste Europeu e mercados da Ásia, da América do Sul e da África”, diz Francisco Turra, presidente-executivo da ABPA.

 

O bom ano se confirma no saldo das exportações em reais. Ao todo, foram R$ 4,3 bilhões em 2015, 14,3% a mais que no ano anterior. Por mês, em média, foram R$ 359,6 milhões. Em dezembro, este resultado chegou a R$ 317,1 milhões, saldo 12,1% superior ao registrado no mesmo período de 2014. Já na receita cambial, houve retração de 20,4% no saldo acumulado do ano, chegando a US$ 1,279 bilhão – uma média de US$ 106,5 milhões por mês. Em dezembro, o saldo foi de US$ 81,9 milhões, 23,6% menor que o mesmo mês de 2014.

 

Destino de 44,6% das exportações brasileira de carne suína em 2015 (excluindo-se os embutidos), a Rússia importou 243,6 mil toneladas no ano, volume 30,6% superior ao registrado em 2014. Em receita, a representatividade russa foi ainda maior: 51,2% do total, chegando a US$ 649,7 milhões (-19,8% em relação ao ano anterior).

 

Para Hong Kong, segundo maior importador de carne suína brasileira (22,6% do total), foram embarcadas 123,7 mil toneladas (excluindo-se os embutidos) em 2015, resultado 11,6% superior ao registrado em 2014.  Em receita, os embarques para Hong Kong chegaram a US$ 238,2 milhões (18,8% do total), resultado 14,6 inferior ao alcançado no ano anterior.

 

Dentre os países com maior crescimento no ano passado, destaca-se a Venezuela, destino de 9,9 mil toneladas de carne suína do Brasil, número 143% superior ao obtido em 2014. “Outro destaque foi a China, que habilitou recentemente mais duas plantas frigoríficas brasileiras.  Para lá, foram embarcadas 5,2 mil toneladas no ano passado, 520% a mais que no ano anterior”, conta o vice-presidente de suínos da ABPA, Rui Eduardo Saldanha Vargas.

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.

Leia mais