Integração Lavoura-Pecuária-Floresta - ILPF.

Dia de campo ensina sobre integração lavoura-pecuária-floresta

Serão mostrados, em quatro estações, os sistemas de Integração como opções viáveis para desenvolver a agropecuária no Mato Grosso do Sul

Nesta quarta-feira, 9 de dezembro, das 7h30 às 12 horas, será realizado o Dia de campo “Sistemas integrados de produção agropecuária (Integração Lavoura-Pecuária e Integração Lavoura-Pecuária-Floresta)”. O evento será na Fazenda Copasul II, rodovia BR 163, km 143 e é destinado a produtores rurais, profissionais da assistência técnica e extensão rural e demais interessados no assunto e a entrada é gratuita.
Serão mostrados, em quatro estações, os sistemas Integração Lavoura-Pecuária (ILP) e Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF), apresentando como opções viáveis e uma das alternativas para desenvolver a agropecuária na região sul do Estado – principalmente nas áreas de solos arenosos, que são pobres em nutrientes.

 

Em uma parceria entre Embrapa Agropecuária Oeste (Dourados, MS), Embrapa Gado de Corte eCooperativa Agrícola Sul Matogrossense (Copasul) foi montada uma Unidade de Referência Tecnológica (URT) em 31 hectares da cooperativa em Naviraí (MS). A Unidade faz parte do Projeto Integração Lavoura-pecuária/Rede de Fomento em ILPF. O objetivo é utilizar áreas com pastagens degradadas da região de Naviraí e diversificar a produção, com a lavoura integrada com a pecuária.

 

O primeiro passo para adotar a ILP e a ILPF  foi recuperar os pastos na URT. A recuperação começou em 2014, com utilização de corretivos e incorporação ao solo e com o cultivo, em diferentes áreas de soja, milho, milho consorciado com Brachiaria ruziziensis, mandioca, eucalipto e com a pastagem BRS Piatã, que serão avaliadas ao longo das safras.

 

Com relação ao gado Nelore, foram realizadas até 17 de setembro de 2015 três avaliações, que são realizadas a cada 60 dias. O saldo foi positivo nas áreas que foram recuperadas. Já no início, o ganho de peso do gado em pasto recuperado foi maior do que a do pasto não recuperado (chamado de “testemunha”): 0,208 kg/dia/cabeça/hectare e de 0,199 kg/dia/cabeça/hectare, respectivamente.

 

Na última avaliação, em 17 de setembro, houve uma diferença significativa: ganho de 0,536 kg/ha/dia/cabeça/hectare no pasto recuperado e perda de -0,03 kg/ha/dia/cabeça/hectare. Esses e outros resultados da ILP e da ILPF mais detalhados para a região de Naviraí, MS, serão apresentados no Dia de Campo, no dia 9 de dezembro.

 

Deixe seu comentário