cana-de-acucar - cana - controle de pragas - farming brasil

Custo de produção da cana-de-açúcar

Painel será realizado pela Federação da Agricultura do Estado de Pernambuco

A Federação da Agricultura do Estado de Pernambuco – FAEPE realiza na terça-feira (05/04), um painel sobre os custos de produção de cana-de-açúcar. O levantamento, feito em parceria com produtores e técnicos, todos ligados ao Sindicato dos Cultivadores de Cana-de-açúcar no Estado de Pernambuco (Sindicape), permite a atualização deste valor.

 

Segundo o assessor técnico da Comissão Nacional de Cana-de-açúcar, da CNA, Rogério Avelar, durante o levantamento de dados serão avaliadas despesas aplicadas em insumos, tipos de tecnologia e o processo técnico adotado nas áreas produtoras do Estado. “Essas informações serão monitoradas e comparadas com as principais regiões produtoras do país”, adiantou Rogério. A coleta e geração dessas informações é de responsabilidade da Confederação da e Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em parceria com o CEPEA/ESALQ, o PECEGE/ESALQ e a UFLA/CIM e atende a um pleito da FAEPE. Os dados obtidos a partir do painel resultarão em um boletim, que servirá de base para orientar o produtor na gestão da sua propriedade e na tomada de decisões do segmento em todo o Brasil.

 

A iniciativa faz parte do Projeto Campo Futuro, da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). O objetivo é formar uma rede atualizada de dados de custo de produção em várias culturas. Além da cana, são contempladas no projeto a bovinocultura de corte e de leite, arroz, algodão, soja, milho, trigo, cana-de-açúcar, café e fruticultura, entre outros produtos do meio rural.

 

De acordo com o presidente da FAEPE, Pio Guerra, Pernambuco é o segundo maior produtor de cana do Nordeste, com uma produção média estimada em 14 milhões de toneladas/ano. Já o Estado de Alagoas ocupa o primeiro lugar do Nordeste, apresentando uma produção estimada em 22 milhões de toneladas/ano, e a Paraíba em terceiro lugar. Porém, o Nordeste produz em média 60 milhões de toneladas, equivalente a 10% da produção Nacional. Produção essa bastante inferior se comparado a Região Sudeste, que chega a produzir 590 milhões. “As informações certas são imprescindíveis para se produzir com uma real expectativa de rentabilidade capacitação do produtor, aliada à geração de informação para a administração de riscos de preços na propriedade rural são de extrema importância para alavancar a produção no Estado”, Citou.

 

Deixe seu comentário