Cafezal

Cotações do café seguem as oscilações do dólar perante o real

As bolsas internacionais tiveram uma semana de volatilidade, com preços influenciados pela crise política e econômica do Brasil

O mercado internacional de café teve mais uma semana de volatilidade. As bolsas de Londres para o robusta e de Nova York acompanharam a crise política e econômica no Brasil e as oscilações consequentes do dólar contra o real, que vem influenciando os preços futuros. Além disso, seguem as atenções com notícias da safra do Brasil e fatores técnicos foram importantes na formação de preços.

 

De acordo com a consultoria Safras&Mercados, na Bolsa de Mercadorias de Nova York, o foco segue sendo as flutuações entre dólar e real. Quando o dólar sobe contra o real os preços tendem a cair nas bolsas, e vice-versa, diante do fator competitivo para as exportações brasileiras. Na parte técnica, NY testou e superou a linha de US$ 1,30 por libra-peso, mas não conseguiu romper para cima US$ 1,35, o que pode promover correções para baixo.

 

Já no mercado físico brasileiro, semana mais curta com o feriado da sexta-feira e moderada movimentação. As cotações acima de R$ 500,00 a saca para os melhores cafés atraem mais os vendedores, mas há expectativa em torno da crise política e para as oscilações de dólar e bolsa. As exportações brasileiras de café em grão em março, até o dia 20, com 14 dias úteis contabilizados, foram de 1,851 milhão de sacas de 60 quilos, com receita de US$ 269,5 milhões e um preço médio de US$ 145,60 por saca.

 

Como comparação, em fevereiro de 2016, as exportações brasileiras de café em grão totalizaram 2,668 milhões de sacas, e alcançaram 2,860 milhões  de sacas em março de 2015. As informações partem do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e foram divulgadas pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

 

A receita média diária obtida com as exportações de café em grão foi de US$ 22,060 milhões na segunda semana de março (14 a 20). A média diária até agora no acumulado do mês, contando 14 dias úteis, é de US$ 21,456 milhões, 8,5% menor no comparativo com a média diária de fevereiro de 2016, que foi de US$ 23,442 milhões. Em relação a março/2015, quando a média diária dos embarques totais de café atingira US$ 25,999 milhões, a receita média de exportações de café de março/2016 é 17,5% menor, conforme os dados acumulados até o dia 20.

 

 

Deixe seu comentário

Leia mais