DATA: 03/03/2016

Corredor de Exportação de Paranaguá dobrou a movimentação em fevereiro

Foram escoadas 1,51 milhão de toneladas de grãos, enquanto no mesmo período de 2015 a movimentação foi de 724 mil toneladas

O Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá registrou o dobro de movimentação de cargas em fevereiro de 2016. Ao longo do mês, foram escoadas 1,51 milhão de toneladas de grãos pelo complexo, enquanto no mesmo período do ano passado a movimentação foi de 724 mil toneladas.

 

Segundo o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, o resultado comprova o aumento de eficiência e produtividade do sistema de exportação graneleira do porto, já que tanto no ano passado quanto em fevereiro deste ano registrou praticamente o mesmo período de paralisação por chuva. “Ainda nem começamos o período mais intenso de escoamento da safra e já alcançamos um patamar excelente de movimentação”, afirma.

 

A marca deste ano é 18,6% superior ao recorde anterior de movimentação do Corredor de Exportação para o mês de fevereiro, que tinha sido alcançado em 2014. Em janeiro, o complexo de escoamento também tinha batido seu recorde mensal para o período, com 1,34 milhão de toneladas.

 

Com a soma dos dois resultados, o primeiro bimestre totalizou 2,86 milhões de toneladas exportadas pelo Corredor, 600 mil toneladas acima da maior movimentação que o complexo já tinha alcançado nos dois primeiros meses do ano.

 

Maior desempenho

Para completar, descontando os dias de chuva, neste ano o Corredor de Exportação tem escoado 56,3 mil toneladas por dia, um desempenho 66% superior ao mesmo período do ano passado, quando eram escoadas 33,9 mil toneladas por dia.

 

“O produtor rural agora tem condições de exportar sua produção agrícola quando bem entende, no momento em que é mais vantajoso para ele, na agilidade que precisa. Estamos preparados para um intenso e movimentado período de escoamento da safra nos próximos meses”, diz o diretor-presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Luiz Henrique Dividino.

 

Boa parte deste ganho operacional é fruto dos investimentos de R$ 511,9 milhões para melhorar a infraestrutura e logística do Porto de Paranaguá, explica Dividino. Foram adquiridos 4 novos shiploaders (equipamento que carrega com grãos os navios cargueiros), substituindo equipamentos da década de 70. Os novos carregadores conseguem embarcar grãos com 33% mais agilidade do que os antigos, aumentando a velocidade de embarque de 1,5 mil toneladas por hora para 2 mil toneladas por hora.

 

Também foram adquiridos dez novos guindastes, novas balanças para pesagem dos caminhões, novos tombadores e demais componentes para descarregar cargas, novos scanners para inspeção de cargas, novas guaritas informatizadas, novos acessos ao Pátio de Triagem foram instalados e foi feita a implantação do APPA WEB (Porto Sem Papel).

 

Outro importante investimento para aumento da produtividade no Corredor de Exportação foi a reforma dos berços de atracação, lembra o diretor-presidente da Appa.

 

Escoamento

Parte dos produtos que estão sendo exportados por Paranaguá ainda são remanescentes da safra passada, quando o produtor rural segurou o escoamento de parte de sua produção em busca de melhores condições de câmbio. Com isso, 806 mil toneladas de soja foram exportadas pelo complexo ao longo de fevereiro, quatro vezes mais do que o registrado no ano passado.

 

O escoamento do milho safrinha também está a todo vapor, com 1,26 milhão de toneladas embarcadas durante o mês, o que significa um crescimento de 115% em relação a fevereiro de 2015.

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.

Leia mais