Café

O consumo mundial de café foi de 152,1 milhões de sacas no ano passado

Nos quatro últimos anos, o crescimento anual manteve média de 2%

Segundo a Organização Internacional do Café (OIC), o consumo mundial de café que foi de 150,3 milhões de sacas de 60kg em 2014, subiu para 152,1 milhões de sacas em 2015. Nos quatro últimos anos, o crescimento anual manteve média de 2%. Na Ásia foi constatada grande parte do crescimento recente do consumo, com taxas de crescimento de 4,5 a 9% na Indonésia, Filipinas, Índia e Tailândia. A produção mundial de café em 2015, já divulgada em edição anterior do Relatório da OIC, se manteve em 143,4 milhões de sacas de 60kg.

 

Além disso, o relatório de fevereiro deste ano aponta que em janeiro as exportações mundiais totalizaram 9 milhões de sacas, 0,8% menos que em janeiro de 2015 e, ainda, que nos quatro primeiros meses do ano cafeeiro (outubro a janeiro) elas aumentaram 1,7%, totalizando 35,9 milhões.

 

O documento está disponível no portal da OIC e também no Observatório do Café do Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café e traz, entre outras informações importantes do setor cafeeiro em nível mundial, dados sobre a produção, exportação, estoques, consumo e indicadores de preços de café apurados pela OIC.

 

Tendências do café

O Bureau de Inteligência Competitiva do Café, à semelhança da OIC, lança nova edição do Relatório Internacional de Tendências do Café, de fevereiro deste ano (vol.5 nº 1), que busca reunir e oferecer informações e análises relevantes para o setor cafeeiro nacional, subsidiando o planejamento e a tomada de decisão dos agentes da cadeia agroindustrial do café.

 

O relatório está disponível no site do Bureau de Inteligência Competitiva do Café e apresenta, em nível mundial, destaques do agronegócio café e tendências do setor, com foco na produção, indústria e cafeterias, entre outros temas. O documento é produzido na Universidade Federal de Lavras – Ufla, uma das dez instituições fundadoras do Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café.

 

Análises sobre produção, indústria e cafeterias

O Relatório do Bureau destaca o aumento da participação do Coffea canephora na produção mundial em relação ao Coffea arabica. Segundo o Bureau, os grãos de café robusta são utilizados predominantemente em blends com café arábica e na fabricação de café solúvel, um produto cujo consumo cresceu muito nas últimas décadas, principalmente nos países emergentes.

 

Além disso, o C. canephora é mais resistente a doenças, mais tolerante a adversidades do clima, possui maior produtividade e tem custo de produção inferior ao do C. arabica. De acordo com a análise do Relatório, esse cenário indica oportunidade para as regiões brasileiras produtoras de robusta, mas pode representar ameaça para a produção de café arábica no longo prazo.

 

O relatório também analisou o crescimento do consumo de café em cápsulas, a relação de concorrência das cafeterias e destacou a diferenciação de mercado que pode ser obtida por meio da oferta de grãos certificados e de produtos sustentáveis, tendo em vista a maior conscientização das pessoas quanto à preservação do meio ambiente.

 

O Relatório Internacional de Tendências do Café, do Bureau de Inteligência Competitiva do Café, nesta edição (vol.5 nº 1), traz também análise dos principais países produtores da América Central, América do Sul e Ásia, além de apresentar estratégias adotadas por grandes empresas em nível mundial, e outras informações do setor cafeeiro.

 

 

Deixe seu comentário

Leia mais