Lavoura de soja.

Conab reduz estimativa de produção de grãos

Apesar dos problemas climáticos, espera-se uma colheita recorde de soja

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) reduziu pela segunda vez consecutiva a sua previsão da produção de grãos na safra 2015/2016. O quinto levantamento da Conab, divulgado nesta quinta-feira (04/02), aponta para uma produção total de 210,3 milhões de toneladas.

 

O número é levemente inferior à estimativa divulgada em janeiro deste ano, de 210,47 milhões de toneladas. Ainda assim, a perspectiva é de recorde de produção na safra 2015/2016. O Brasil deve colher um volume adicional de 2,6 milhões de toneladas de grãos, representando um crescimento de 1,3% em relação à temporada anterior, que foi de 207,7 milhões de toneladas.

 

A previsão para a área plantada com grãos permanece a mesma, com 58,5 milhões de hectares. Isso representa um aumento de 593,5 mil hectares frente à safra passada, com 57,9 milhões de hectares.

 

Soja

A maior mudança na previsão da Conab se refere à produção de soja. No quinto levantamento, estima-se uma colheita de 100,9 milhões de toneladas, enquanto o quarto levantamento previa uma produção de 102,11 milhões de toneladas da oleaginosa.

 

A redução se deve principalmente às perdas nas lavouras matogrossenses. “Em virtude da instabilidade climática observada desde o início do plantio, o Mato Grosso apresenta lavouras em praticamente todos os estágios de produção. Isso se deve à identificação do forte atraso no plantio, particularmente no médio norte e no meio e sul do Vale do Araguaia, que causou situações distintas”, diz a Conab.

 

A perspectiva para o Paraná e o Mato Grosso do Sul, apesar de chuvas acima da média, é de uma boa colheita de soja. O Rio Grande do Sul sofreu com excesso de chuvas em 2015 e com estiagem em janeiro deste ano, o que deverá reduzir a produtividade no Estado. Nas regiões Norte e Nordeste do Brasil, onde o plantio da soja inicia mais tarde, as lavouras são beneficiadas por melhores condições climáticas, com as chuvas registradas em janeiro.

 

Segundo a Conab, a perspectiva para a safra é de recorde, marcada pela tendência de crescimento da area plantada, com avanço de 3,6%, que totaliza 33.234 mil hectares cultivados com soja. “Apesar de problemas pontuais, como atraso de plantio, a estimativa é de crescimento na produção e na produtividade”, diz a Conab.

 

Milho

A perspectiva para o milho é de redução de 6,8% da área plantada e recuo de 5,8% da produção de milho na primeira safra, em comparação com a temporada 2014/2015. Para a safrinha do milho, a previsão é de um crescimento de 0,7% da produção, com colheita estimada em 54,99 milhões de toneladas. Porém, o clima é que vai definir a magnitude da safrinha, já que o atraso no plantio da soja poderá trazer uma forte repercussão no plantio do cereal.

 

Outros cultivos

A produção de algodão será menor do que a safra passada, afetada pela redução de área no Nordeste, principalmente na Bahia, segundo maior estado produtor. Para o arroz, há perspectivas de redução de área em quase todos os estados produtores, o que afeta a produção total. No caso do feijão, espera-se um aumento da produção e produtividade na primeira safra, que deve compensar a redução de área plantada. Para a realização do 5º levantamento, os técnicos da Conab foram a campo entre os dias 17 a 23 de janeiro. Confira o levantamento completo clicando aqui.

 

Deixe seu comentário

Leia mais