Lavoura de trigo.

Com baixa oferta de trigo e dólar valorizado, cotações estão firmes

Segundo a Conab, a importação total do produto pode ser de 5,75 milhões de toneladas entre agosto de 2015 e julho de 2016

No ano passado, o clima foi bastante desfavorável ao trigo no Brasil, e os resultados foram quebra na produção e forte diminuição do cereal de qualidade. Desta forma, as importações brasileiras devem crescer principalmente da Argentina. Já dos Estados Unidos, tanto o dólar elevado quanto a cobrança de tarifa de importação desestimulam o comércio.

 

Segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), ao mesmo tempo, diante da oferta limitada e também do dólar valorizado, as cotações do grão nacional se mantêm firmes. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento, a importação total pode ser de 5,75 milhões de toneladas entre agosto de 2015 e julho de 2016. “Ao se somar aos estoques iniciais de 1,17 milhão de toneladas, resulta em disponibilidade interna de 12,46 milhões de toneladas”, diz o Cepea.

 

Deixe seu comentário

Leia mais