DATA: 24/02/2016

Cobertura mínima das apólices de seguro rural passa a ser de 60%

Segundo Ministério da Agricultura, alteração tem o objetivo de garantir maior proteção aos agricultores

A faixa mínima de cobertura de produtividade para as apólices de grãos agora é de 60% a 65% e contará com subvenção de 45% do governo federal. Esses índices valem para a chamada cobertura multirrisco, em que a seguradora se obriga a indenizar ao segurado a perda de produção por danos causados pelo clima, como seca, granizo, geada, excesso de chuvas e ventos fortes. A modalidade se aplica principalmente às culturas de soja, milho, trigo, arroz e feijão.

 

De acordo com o diretor de Crédito, Recursos e Riscos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Vitor Ozaki, a alteração tem o objetivo de garantir maior proteção ao produtor rural, porque quanto maior o nível de cobertura, maior será a produtividade segurada na apólice. Antes a faixa mínima de cobertura era entre 50% a 55%, com 30% da apólice subvencionada pelo governo.

 

A decisão de mudar os índices foi tomada pelo Comitê Gestor Interministerial do Seguro Rural. A resolução que alterou a regra do Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural está publicada no Diário Oficial da União da terça-feira (23/02).

 

O percentual de subvenção oficial leva em conta o nível de cobertura de produtividade das apólices. O nível de cobertura é calculado pelo total da divisão da produtividade agrícola segurada pela produtividade estimada na região do produtor.

 

Atualizações

O comitê alterou ainda o termo de responsabilidade do produtor rural, documento de preenchimento obrigatório pelo agricultor no momento de contratação da apólice de seguro rural. O laudo de fiscalização, utilizado pelo representante do Ministério da Agricultura nas operações de fiscalização das apólices subvencionadas, também foi atualizado.

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.

Leia mais