Lavoura de soja.
DATA: 18/01/2016

Clima pode atrapalhar colheita da soja em Mato Grosso e no Paraná

Nas regiões em que as lavouras estão em fase de desenvolvimento, as chuvas são benéficas e podem favorecer a produtividade

O calor e a baixa umidade foram motivos de preocupação para produtores de soja do Cerrado brasileiro até o mês de dezembro. Porém, agora, o cenário é outro e as chuvas intensas passaram a deixá-los em alerta. Em Mato Grosso e no Paraná, diversas regiões estão dando início a colheita e o excesso de chuvas pode atrasar os trabalhos, além de prejudicar a qualidade do grão.

 

Entretanto, nas praças em que as lavouras estão em fase de desenvolvimento, as chuvas são benéficas e podem favorecer a recuperação da produtividade. Mesmo com as recentes chuvas, as altas temperaturas e a baixa umidade durante o cultivo e desenvolvimento vegetativo das lavouras de soja, especialmente em Mato Grosso e no Nordeste do Brasil, ainda geram duvidas quanto a impactos sobre a produtividade.

 

Segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Apliocada (Cepea), as chuvas dos últimos dias podem ter melhorado a situação, podendo favorecer recuperação de boa parte das lavouras, que ainda estejam em fase de desenvolvimento. Mas é preciso que as chuvas continuem para que alcancem potencial de rendimento médio.

 

“No Sul do Brasil, também chove em muitas regiões, mantendo as perspectivas de boa produtividade para a soja. Por outro lado, os baixos índices de insolação podem limitar um crescimento da produtividade e o aparecimento de doenças deve elevar os custos de produção”, diz o Cepea.

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.

Leia mais