Soja

Chuvas não devem atrapalhar a colheita da soja em fevereiro

Em fevereiro, o tempo vai colaborar, porém, produtores que realizaram plantio tardio podem ter problemas para colher em março

O mês de janeiro foi marcado pela instabilidade das condições climáticas, com chuvas acima da média nas principais regiões produtoras de soja, fato que atrasou o início da colheita da oleaginosa. A partir de agora, porém, o tempo não deverá atrapalhar os trabalhos de campo.

 

Segundo a meteorologista Graziella Gonçalves, da Somar Meteorologia, fevereiro começa diferente. “A chuva não vai atrapalhar quem vai fazer a colheita durante o mês”, diz. “Mas para quem realizou um plantio tardio e vai colher em março pode complicar.”

 

Existe a possibilidade de precipitação até o fim desta semana, principalmente no leste do Paraná, que deve receber um volume maior de chuvas. No Mato Grosso e no Mato Grosso do Sul, a previsão indica chuvas isoladas com abertura de sol. “O tempo fica mais seco e as chuvas retornam estáveis, sem muito volume, apesar do El Niño ativo”, diz Graziella.

 

Região Matopiba

A região Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia) começa o mês com menos chuva do que vinha recebendo. Segundo a meteorologista, em janeiro a região recebeu três vezes mais chuva do que o esperado para o mês. “Agora o padrão que começa é da chuva diminuindo nas próximas semanas”, afirma.

 

O tempo continuará úmido e a finalização dos trabalhos de campo melhora na região a partir das próximas semanas. No fim da primeira quinzena, o modelo indica a chegada de uma frente fria e a Bahia deve registrar maiores volumes de chuva.

 

Norte

De maneira geral, Amazonas, Pará e Roraima terão um volume de chuva menor. A região norte deve contar com chuvas mal distribuídas e tempo seco ganhando força. Acre e Rondônia continuam recebendo mais chuva.

 

Nordeste

O nordeste recebe um pouco mais de chuva, principalmente no extremo norte do Ceará, Piauí e Maranhão. Segundo a meteorologista, a chuva deve diminuir somente no interior.

 

Sul

De maneira geral, as chuvas vão retornar na região. A metade sul do Rio Grande do Sul tem tempo seco até o dia 5, o que facilita a atividade de campo. Segundo a meteorologista, volta a chover na próxima semana, mas a previsão é de que não seja tão intensa. As previsões indicam queda de granizo no oeste do Rio Grande do Sul ainda nesta semana, na quarta ou quinta-feira.

 

Sudeste

No norte de Minas Gerais e Espírito Santo o cenário está próximo ao do Matopiba, com a próxima semana mais estável e a partir do dia 15 deve registrar o retorno da chuva. Em São Paulo, oeste e sul de Minas Gerais e Rio de Janeiro haverá chuva e abertura de sol ao longo do dia. “Vai ser uma chuva benéfica, que traz a manutenção da umidade do solo”, afirma Graziella.

 

Centro-Oeste

O centro-oeste segue com disponibilidade de umidade. “Até o final do verão veremos chuva na região”, diz a meteorologista. Em fevereiro haverá diminuição, mas em março a chuva volta mais distribuída, principalmente no Mato Grosso.

 

Deixe seu comentário

Leia mais