DATA: 26/02/2016

Cati realiza projeto de viabilidade no cultivo de cebola em Araraquara

A cebola é um produto pouco cultivado na região, mesmo tendo uma boa produção

Em busca da diversificação e agregação de renda na produção agrícola familiar, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati), começou a testar variedades de cebola cultivadas no verão, principalmente no Nordeste brasileiro, região com clima propício para o desenvolvimento da cultura. A experiência está sendo realizada pelas Casas da Agricultura de Araraquara, Boa Esperança do Sul e Matão com as variedades Conquista, IPA 11, Bola Precoce e Diamantina.

 

De acordo com o engenheiro agrónomo da Secretaria, que atua na Casa da Agricultura de Matão, Jader Moraes, o objetivo do projeto é antecipar o plantio da cebola, entre os meses de dezembro e janeiro, para que a comercialização ocorra quando o preço de mercado estiver elevado.

 

“Além de alcançar maior valorização, espera-se gerar oferta em grande parte do ano, já que no Estado de São Paulo inicia-se o cultivo em março e abril, com o pico de produção entre cinco e seis meses após o plantio das sementes”, afirma o extensionista, que explicou também sobre a expectativa de que os preços praticados em 2016 sejam bastante satisfatórios, devido aos prejuízos sofridos na região Sul do Brasil, maior produtora, provocados pelas fortes chuvas.

 

De acordo com os trabalhos desenvolvidos pela Cati em todo o Estado, a cebola é um produto pouco cultivado na região de Araraquara, mesmo tendo uma boa produção, principalmente por não possuir grandes diferenças climáticas e de solo das maiores regiões produtoras no Estado. “Como os meses de dezembro e janeiro são acometidos por elevadas precipitações pluviométricas, realizou-se o plantio em bandejas para a formação das mudas e, após esse período, elas serão transferidas ao campo, contudo ainda neste mês de fevereiro será experimentado o plantio direto nos canteiros”, conta o técnico da Casa da Agricultura de Matão.

 

O secretário de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim, destacou alguns dos principais benefícios que serão obtidos por meio do projeto. “Para os agricultores, essa proposta traz grandes expectativas, pois além de agregar valor na produção, eles terão a possibilidade de aumentar a participação nas principais políticas públicas de apoio à agricultura familiar, além de cultivar uma variedade adaptada ao clima da região onde está a propriedade, diminuindo perdas”, diz.

 

Plantio do Sistema de Cebola Bulbinho

Uma das regiões paulistas propícia ao bom desenvolvimento da cebola é Divinolândia, que se destaca pelo sistema de cebola bulbinho – quando os bulbos são armazenados para posteriormente serem cultivados e as cebolas, colhidas no período de entressafra.

 

No mês de fevereiro, começa o plantio da 30.ª safra do Plantio do Sistema de Cebola Bulbinho em Divinolândia, sendo a colheita prevista para o final de maio até o mês de junho, período em que normalmente a safra recebida da região Sul do País chega ao fim e os produtores aproveitam para abastecer e se garantir no mercado.

 

Nessa safra serão plantados 230 hectares, com uma produtividade média de 45 toneladas por hectare. “Esse sistema teve início em 1986, com um apoio marcante da Casa da Agricultura do município, que teve o intuito de buscar novas alternativas e geração de emprego e renda para os produtores e trabalhadores rurais da região e isso é o que realmente vem acontecendo em todos esses anos”, ressaltou João Batista Vivarelli, diretor da Cati Regional São João da Boa Vista, responsável pelo apoio técnico à Cassa da Agriculttura de Divinolândia.

 

Conforme o levantamento realizado pela Cati na região, o cultivo da cebola gera para cada hectare plantado a contratação média de 20 homens por dia e, para a colheita, emprega-se mais 35 homens por dia. Com isso, há um aquecimento na economia local e também nos municípios vizinhos, pois os produtores investem na propriedade adquirindo máquinas, implementos, equipamentos, insumos, e melhoram suas moradias.

 

Outra importante conquista é a geração de novos empregos relacionados às máquinas de benefício e transporte da produção da safra. “Ficamos satisfeitos e orgulhosos por acompanhar nesses 30 anos como o sistema de plantio da cebola bulbinho trouxe resultados tão positivos para os produtores e trabalhadores rurais de Divinolândia, além da dignidade e, do incentivo que motivam a permanência da atividade na região”, diz Vivarelli.

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.