CAR: 13 orientações para não errar no cadastro ambiental rural

O prazo de inscrição para o CAR e para a adesão ao Programa de Regularização Ambiental (PRA) termina no dia 31 de dezembro

O prazo de inscrição para o Cadastro Ambiental Rural (CAR) e para a adesão ao Programa de Regularização Ambiental (PRA) termina no dia 31 de dezembro de 2017. A inscrição no CAR é obrigatória para todos os imóveis rurais, que, além da regularização, passam a ter os benefícios previstos no Código Florestal, Lei n.° 12.651/12. Com o objetivo de ajudar os produtores rurais e tirar dúvidas sobre a regularização dos cadastros da propriedade, a Federação da Agricultura do Estado do Paraná (FAEP) produziu uma cartilha com as algumas das principais dúvidas relacionadas ao tema.

 

1- O que acontece com o produtor que não realizar o cadastro?

De acordo com a FAEP, caso o produtor não regularize o imóvel até o dia 31 de dezembro deste ano, ele perderá benefícios importantes, como a possibilidade de recompor as áreas consolidadas de Área de Preservação Permanente (APP), com dimensões menores conforme o tamanho da propriedade, a famosa “regra da escadinha”. Além disso, ficará impossibilitado de requerer licenciamentos ambientais, terá restrição a crédito bancário a partir de janeiro de 2018 e será impedido de realizar modificações cartoriais nos registros de imóveis.

 

2- O que é o Programa de Regularização Ambiental (PRA)?

O PRA é o programa que permite a regularização das áreas de APP e Reserva Legal (RL) de acordo com o novo Código Florestal.

 

3- Quando aderir ao PRA?

De acordo com as informações da FAEP, os produtores devem aderir ao PRA em três situações:

– Quando a propriedade apresentar um déficit de recomposição de APP e/ou RL.

– Quando a propriedade tiver multas anteriores a 22 de julho de 2008.

– Quando tiver Termo de Compromisso (TC) assinado e não cumprido integralmente.

 

4- Como aderir ao PRA?

Segundo a FAEP, o produtor deve aderir ao PRA no momento em que estiver fazendo a inscrição no CAR. O produtor deve clicar no item “informações” e clicar “sim” na opção de aderir ao PRA. Lembrando que a data limite é dia 31 de dezembro de 2017.

 

Após esse procedimento, é necessário aguardar a análise do CAR pelo órgão ambiental. Logo após essa análise, o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) irá chamar o proprietário para apresentar o Projeto de Recuperação de Áreas Degradadas (Prad) e assinar um novo termo de compromisso. Nesse novo termo constarão as áreas a serem recuperadas e o prazo limite.

 

5- O que é o Projeto de Recuperação de Área Degradada (Prad)?

No Prad estará descrito como será feita a recuperação das áreas de Preservação Permanente e Reserva Legal. Em áreas de até quatro módulos, o produtor deve apresentar o Prad simplificado, que ainda será definido pelo órgão ambiental. Para áreas maiores que quatro módulos, o Prad deverá ser elaborado por um técnico habilitado.

 

6- Qual é o prazo para pedir revisão do Termo de Compromisso (TC) e como pedir?

O produtor tem até o dia 31 de dezembro para solicitar a revisão do TC para a readequação ao novo código florestal. Para fazer a solicitação, a FAEP explica que o produtor deve preencher a solicitação de revisão, anexar uma cópia do RG e CPF, o CAR da propriedade, a matrícula do imóvel atualizada e protocolar no IAP até o prazo estabelecido. Se o pedido não for feito neste prazo, o proprietário terá de cumprir o termo completo de acordo com o que já foi assinado, ou seja, o antigo Código Florestal.

 

7- A adesão ao PRA substitui a solicitação de pedido de revisão do Termo de Compromisso assinado pelo Sisleg?

Não. De acordo com a FAEP, o produtor terá que pedir a revisão do TC até o dia 31 de dezembro. Caso o imóvel tenha déficit de APP ou RL, o produtor deverá fazer a adesão ao PRA, que após a análise do órgão ambiental poderá ser gerado um novo TC.

 

8- O que é um alerta de sobreposição com outro imóvel rural?

O alerta é um aviso emitido automaticamente e só detecta sobreposição do imóvel com outros imóveis vizinhos. O alerta não gera multa ambiental e não tem prazo para atendimento dos documentos solicitados. É apenas um lembrete da necessidade de corrigir o CAR. Segundo a FAEP, existe um limite de tolerância de sobreposição conforme o tamanho da área.

 

Para imóveis de até quatro módulos, a tolerância de sobreposição é de 10%. Já para imóveis entre 4 e 15 módulos há uma Tolerância de 5%de sobreposição. Para os imóveis superiores a 15 módulos, a tolerância é de 3%. Lembrando que esses limites de tolerância são calculados com o somatório de todas as inconsistências.

 

9- Por que os alertas se repetem para o mesmo CAR?

Segundo a FAEP, repetem-se por ser uma análise de filtro automático. Para cada imóvel sobreposto é emitido um alerta. Lembrando que enquanto o alerta não for respondido, ele será continuamente emitido.

 

10- Quando há a necessidade de apresentar croqui, planta ou mapa georreferenciado?

Para cada alerta, o produtor deve responder com os documentos solicitados ou justificar. Caso necessite apresentar a certificação de georreferenciamento do Incra, a justificativa deve basear-se na Instrução Normativa n° 2, do Ministério do Meio Ambiente, nos artigos 13 e 14. Segundo essa normativa, para os imóveis inferiores a 4 módulos a exigência é a apresentação de um croqui e para imóveis superiores a 4 módulos é necessária uma planta georreferenciada, com pelo menos um ponto de amarração do perímetro do imóvel.

 

11- O que é uma notificação?

A notificação indica que foi realizada a análise pelo órgão ambiental de forma detalhada, por um técnico habilitado e detectada uma irregularidade que não está conforme com a legislação vigente. Quando receber a notificação, o produtor tem um prazo, em média, de 60 dias para providenciar a documentação solicitada e enviar via central do proprietário ou possuidor. Essa documentação deve estar atualizada. Nesse caso, é imprescindível que o produtor responda essa notificação para que o seu CAR não passe para a situação de pendente ou cancelado.

 

12- A matrícula deve ser atualizada para o envio de uma notificação?

De acordo com a FAEP, sim, deverá ser atualizada em no máximo 90 dias da emissão pelo cartório.

 

13- Como funcionam os filtros automáticos de sobreposição?

Eles indicam o quanto um imóvel se sobrepõe ao imóvel vizinho, com unidades de conservação, com terras indígenas e com áreas embargadas do Ibama. Quando há a sobreposição com outros imóveis, o CAR continua na situação de ativo. Entretanto, segundo a FAEP, quando há sobreposição com Unidades de Conservação, terras indígenas e áreas embargadas pelo Ibama, ele fica automaticamente na situação de pendente. Para ver a publicação da FAEP clique aqui.

 

Conheça a revista Farming Brasil!

Farming Brasil. Ano 1, edição 3.
Farming Brasil. Ano 1, edição 3.

A terceira edição da revista Farming Brasil tem reportagem de capa sobre a plantabilidade da soja, com um dossiê completo para avaliar o solo, regular as plantadeiras, capacitar o operador da máquina e plantar com qualidade.

A revista conta também com um robusto especial sobre pecuária. A terceira edição apresenta tecnologias para as máquinas agrícolas, como os pneus radiais e as esteiras de borracha para colheitadeiras de grãos, sistemas de irrigação, tecnologia de aplicação de fertilizantes a taxa variável, energia solar e muito mais! Para adquirir a revista (R$ 14,90 + frete de R$ 6,50), clique aqui para enviar o seu pedido.

 

Cadastre-se para receber notícias gratuitamente da Farming Brasil por e-mail: sfagro.com.br/cadastro

Qual é a sua dúvida agronômica? Para pedir uma reportagem ao site SF Agro, clique aqui e envie uma mensagem para a equipe de jornalistas.

Deixe seu comentário

Leia mais