laranja

Baixo volume de suco nos estoques leva indústrias a “emendarem” safras

Pela primeira vez, o processamento de uma safra de laranja pode seguir sem interrupções até a próxima temporada, diz o Cepea

Pela primeira vez, o processamento de uma safra de laranja pode seguir sem interrupções até o início da próxima, conforme indicam pesquisas do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP. Neste início de abril, as três grandes indústrias têm uma unidade cada moendo a fruta da temporada 2015/2016, e essas atividades devem ser mantidas ao longo deste mês, de modo a serem aproveitadas as laranjas restantes. O processamento da safra nova (2016/2017), por sua vez, deve ter início em maio, eliminando a “entressafra” industrial neste ano. O empenho das processadoras para aproveitar todas as frutas é justificado pelo baixo volume de suco em estoque.

 

Nos últimos meses, todas as unidades das três grandes empresas tiveram paradas para manutenção, mas de forma intercalada. Em alguns casos, todas as plantas de uma empresa chegaram a interromper pontualmente a moagem, com essas atividades durando no máximo uma semana.

 

As boas chuvas no período de enchimento das frutas e a maturação adiantada devem permitir o início do processamento de laranjas precoces em maio, ainda que não em todas as plantas, segundo indicam pesquisadores do Cepea. No entanto, a previsão é de safra pequena no cinturão citrícola (São Paulo e Triângulo Mineiro) e parte dos agentes já especula que pode “faltar” matéria-prima.

 

Nesse contexto, as grandes indústrias seguem ativas no fechamento de contratos das frutas de 2016/2017. Os preços variam de contrato para contrato. No caso das compras para entrega imediata (portanto, ainda envolvendo a fruta da safra 2015/2016), os negócios se restringem à modalidade spot, com valores entre R$ 14,00 e R$ 15,00 por caixa de 40,8 quilos, colhida e posta na indústria.

 

Queda nos estoques

Conforme dados da CitrusBR (Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos), as indústrias paulistas fecharam 2015 com 728,9 mil toneladas de suco (em equivalente concentrado) em estoque, queda de 27% em relação ao mesmo período de 2014. Contudo, como no primeiro semestre do ano o processamento é reduzido – é menor a oferta de laranja –, o ano-safra fecharia (em 30 de junho de 2016) com apenas 292,4 mil toneladas de suco em estoque, ainda segundo a CitrusBR, o que significa forte recuo de 42,7% em relação ao término da temporada anterior e abaixo do equilíbrio técnico, de 300 mil toneladas.

 

Produção de laranja

Em estimativa referente à safra 2015/2016 de laranja do cinturão citrícola (São Paulo e Triângulo Mineiro), divulgada em fevereiro, o Fundecitrus reajustou o volume para 289,92 milhões de caixas de 40,8 kg, ligeira alta de 1,3% em relação a dezembro/15 e de 3,8% em relação à estimativa inicial. Para os Estados Unidos, em relatório divulgado em março, o USDA indicou produção de laranja da Flórida em apenas 71 milhões de caixas, a menor desde a safra 1952/53

 

Deixe seu comentário

Leia mais