Porto de Santos

As exportações do agronegócio paulista cresceram 38% no primeiro bimestre

As exportações do Estado de São Paulo somaram US$ 6,44 bilhões (26,2% do total nacional) no primeiro bimestre de 2016

As exportações do Estado de São Paulo somaram US$ 6,44 bilhões (26,2% do total nacional) no primeiro bimestre de 2016 e as importações, US$ 7,88 bilhões (38,2% do total nacional), registrando um déficit de US$ 1,44 bilhão, informa a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio do Instituto de Economia Agrícola (IEA). Em relação ao primeiro bimestre de 2015, o valor das exportações paulistas aumentou 3,2% e o das importações diminuiu 31,8%.

 

Sempre superavitário, o agronegócio paulista apresentou exportações de US$ 2,65 bilhões, o que representa um aumento de 16,2% em relação ao mesmo período do ano anterior. Para tornar o dado ainda mais expressivo, as importações caíram 16,5%, somando US$ 760 milhões, resultando em saldo de US$ 1,89 bilhão, o que significa um aumento de 38% em relação aos dois primeiros meses de 2015. “A participação das exportações do agronegócio paulista no total do Estado subiu 4,6%, enquanto a das importações subiu apenas 1,7%, no período”, afirma José Roberto Vicente, pesquisador da Secretaria que atua no IEA.

 

A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 3,96 bilhões no neste bimestre, com exportações de US$ 24,59 bilhões e importações de US$ 20,63 bilhões. No mesmo período, as exportações do agronegócio aumentaram 10,8% em relação a 2015, atingindo US$ 11,69 bilhões (47,5% do total), e as importações caíram 23,7%, somando US$ 1,87 bilhão (9,1% do total). O superávit do agronegócio foi de US$ 9,82 bilhões, sendo 21,2% superior ao do mesmo período no ano passado, ressalta o pesquisador.

 

A participação paulista no total da balança comercial brasileira aumentou, em termos das exportações, +2%, e no tocante às importações, +1,9. Em relação ao agronegócio brasileiro, as exportações setoriais de São Paulo representaram 22,7%, enquanto as importações representaram 40,6%.

 

 

Deixe seu comentário