Lavoura de soja.

Aprosoja Mato Grosso realiza último levantamento de safra nesta semana

Supervisores de projetos vão às propriedades para verificar situação das lavouras tardias

Os supervisores de projetos das regiões Leste e Médio Norte da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) realizam nesta semana o último levantamento da safra de soja 2015/16. “Esta é a quarta rodada do levantamento para entendermos melhor como estão as lavouras no estado e mensurar até que ponto as intempéries climáticas afetarão a produtividade da safra de soja em Mato Grosso”, explica Cid Sanches, gerente de Planejamento da Aprosoja.

 

O levantamento foi uma solicitação da comissão de Defesa Agrícola da associação. “Neste período de inconstâncias climáticas e incidência de pragas, temos relatos bem diferentes de produtividades em diversas regiões do Estado. Por isso, solicitamos que as equipes fossem a campo para tentar dar um panorama real do que está ocorrendo”, diz Alexandre Schenkel, diretor administrativo e vice-coordenador da Comissão de Defesa Agrícola.

 

“Focamos nas regiões com maiores índices de áreas a serem colhidas, o que representam as lavouras semeadas por último, visto que estamos recebendo alguns relatos de produtividades abaixo do esperado, e com isso colocamos nossa equipe a campo para coletar informações que nos subsidiarão”, explica Nery Ribas, diretor técnico da entidade e que está coordenando os levantamentos.

 

Os supervisores Letícia Laabs da Rosa, Nathally Baptistão e Rafael Santos percorrerão as regiões dos municípios de Canarana, Água Boa, Querência, Gaúcha do Norte, Porto Alegre do Norte, Diamantino, Nova Mutum e Santa Rita do Trivelato para saber como estão as condições das lavouras tardias.

 

“Cada vez mais estamos desenvolvendo ações técnicas como a de verificar as condições reais das lavouras, por entendermos ser muito importante para atender os anseios dos nossos associados”, diz Nery Ribas.

 

Neste levantamento, os supervisores medem a lavoura, verificam o estádio vegetativo, além da qualidade geral da área e a expectativa de produtividade. Outros dados são anotados pelos técnicos, como cobertura de solo, espaçamento, incidência de pragas, doenças e plantas daninhas.

 

O levantamento –  A entidade desenvolveu metodologia para análise das condições das lavouras de soja e contou com a expertise do Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea), que desenvolveu um aplicativo para a coleta de informações e está dando o suporte nas análises dos dados. Todas as informações coletadas até o momento foram discutidas internamente, tanto na Comissão de Defesa Agrícola como na Diretoria da Aprosoja.

 

 

Deixe seu comentário

Leia mais