DATA: 04/01/2016

Aprenda a prevenir doenças através da cura do umbigo de bezerros

Animal com infecção demora mais tempo para ser desmamado, consome maior volume de leite durante o aleitamento e ainda corre risco de vida Gabriela Rodrigues

Logo que o bezerro nasce é fundamental realizar a cura do umbigo. A cura deve ser feita o mais rápido possível, pois é determinante para o sucesso produtivo do animal. Uma bezerra que teve infecção umbilical pode ter uma perda de até 25% no seu desenvolvimento.

 

Segundo a técnica do Senar e zootecnista Julia Carolina, é possível comparar o desempenho de duas bezerras do gado do leite que nasceram com 40 quilos, uma sadia que recebeu o manejo correto e outra com infecção umbilical. “A sadia será desmamada aos 90 dias, já a com infecção será desmamada aos 120 dias, levando 30 dias a mais para atingirem mesmo peso”, diz ela.

 

Para uma bezerra sadia, o consumo médio de leite durante a fase de aleitamento será de 360 litros de leite. No caso de uma bezerra com infecção, será um consumo de 480 litros. Em média, são 120 litros a mais, somados ao custo com medicamentos. “Sem considerar que o maior prejuízo pode ser a perda do animal”, diz a técnica.

 

Aprenda a realizar a cura do umbigo

Material necessário: Iodo a 10% e recipiente fundo. Em um recipiente contendo iodo 10% deve ser feita a imersão completa do umbigo. Esse procedimento deverá ser repetido por pelo menos três dias, até que o umbigo esteja completamente desidratado. A técnica do Senar e zootecnista Julia Carolina ensina como deve ser realizado o procedimento de forma correta. Confira no vídeo abaixo.


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.