Alunos desenvolvem sistema de Irrigação automatizada de baixo custo

Novo sistema foi implantado na estufa de produção de mudas para reflorestamento da Caatinga

Alunos do curso de Bacharelado em Engenharia Ambiental e Sanitária do Instituto Federal do Ceará, campus Quixadá, desenvolveram um sistema de irrigação automatizada de baixo custo. O novo sistema foi implantado na estufa de produção de mudas para reflorestamento da Caatinga, em viveiro construído no âmbito do Projeto Biomas, realizado pela parceria entre CNA e Embrapa.

 

De acordo com informações da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), o sistema se destaca, dentre outros fatores, pela economia de água e energia elétrica, custo bastante acessível, eficiência no crescimento das mudas e a autonomia na irrigação, depois de executado as configurações desejadas. O sistema surgiu com o intuito de minimizar a perda de mudas provocada pelo antigo sistema, que fazia uso de irrigação por micro aspersores localizados no teto da estufa, que pela altura e vazões elevadas, conferiam às gotas grande quantidade de energia cinética, que acabavam matando as plantas mais frágeis e desperdiçando água, como também a falta de irrigação que ocorria nos fins de semana, pela ausência de um operador nestes dias.

 

Inicialmente foi realizado um estudo da área disponível e das necessidades hídricas das espécies plantadas no viveiro, com isso foi possível estabelecer o dimensionamento hidráulico, referente aos diâmetros e melhor arranjo das tubulações, potência das bombas e o método de aplicação de água, que neste caso foi escolhido os nebulizadores, por aliarem economia de água e uniformidade na irrigação. Todo o monitoramento e controle da irrigação é feita por um microcontrolador, que utiliza um algoritmo desenvolvido exclusivamente para esta aplicação, no qual o usuário pode realizar configurações através de uma interface, que conta com uma tela LCD e um receptor infra-vermelho para controle remoto.  O usuário pode configurar os setores em que a irrigação deve ser ativada, os horários e a vazão desejada através do acionamento de duas bombas e sete válvulas solenóides. Também há um sensor ultra-sônico que verifica o volume de água disponível no reservatório e caso detecte um volume crítico desliga automaticamente o sistema, evitando que as bombas sejam danificadas.

 

Foi observado que, com o novo sistema de irrigação, a germinação e o desenvolvimento das mudas estão bem melhores, a economia de água é de aproximadamente 65%, e o valor gasto foi 70% menor, se comparado aos modelos que são comercializados e tem um nível de automação bem mais rudimentar.  Os estudantes ainda afirmam que esta tecnologia pode, com apenas alguns ajustes, ser adaptada para a agricultura familiar, levando tecnologia de baixo custo e elevado desempenho ao homem do campo, algo que é de grande importância para o aumento da produtividade, mesmo com baixa disponibilidade de água.

 

 

 

 

Deixe seu comentário