Algodão
DATA: 11/01/2017

Algodão: apesar da baixa liquidez, preços subiram no início do ano

Segundo pesquisadores do Cepea, os preços subiram influenciados pela posição firme dos poucos vendedores ativos SF Agro (contato@sfarming.com.br)

Nestes primeiros dias de 2017, poucos são os negócios envolvendo algodão em pluma para entrega rápida. Segundo pesquisadores do Cepea, tanto agentes da indústria quanto produtores estavam fora do mercado, voltando a ficar ativos apenas nesta semana. Ainda assim, os preços subiram, influenciados pela posição firme dos poucos vendedores ativos.

 

Cotações do algodão

Entre 29 de dezembro e 10 de janeiro, o Indicador CEPEA/ESALQ com pagamento em 8 dias, referente à pluma 41-4, posta em São Paulo, teve alta de 1,56%, fechando a R$ 2,7921/lp nessa terça-feira, 10/01. Já as negociações para entregas futuras estão em ritmo maior, envolvendo lotes referentes às safras 2015/2016 e 2016/2017, tanto para o mercado interno como para o externo. A alta nos preços internacionais, tanto Cotlook A como dos contratos na Bolsa de Nova York (ICE Futures), elevou a paridade de exportação, favorecendo alguns fechamentos.

 

Leia mais:

Percevejo da soja: 7 fatos para tratar a praga que prejudica as plantações

Piscicultura: tecnologia com bioflocos permite reúso de água por três anos

O sonho da pulverização de precisão se tornou realidade

Cientistas desenvolvem metodologia inédita para controlar a mosca branca

Vai faltar água nas lavouras brasileiras?

8 tecnologias para controlar a ferrugem asiática na safra de soja 2016/17

Adesivo detecta o cio das vacas e pode melhorar os índices reprodutivos

7 dicas para ter sucesso na plantação de tomate cereja

Lagarta-do-cartucho: 9 fatos para combater a pior praga do milho

Clima favorece o desenvolvimento da ferrugem asiática

 

Cadastre-se para receber notícias gratuitamente por e-mail: sfagro.com.br/cadastro

O que você gostaria de ler? Para pedir uma reportagem, clique aqui e envie uma mensagem para a redação da Successful Farming Brasil.

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.

Leia mais