DATA: 15/09/2015

Abate de suínos bate recorde no 2º trimestre de 2015

O aumento foi de 5,8% em comparação com o primeiro trimestre do ano, de acordo com o IBGE

Com 9,7 milhões de cabeças, o abate de suínos bateu recorde no Brasil no 2º trimestre de 2015. De acordo com levantamento do IBGE, o aumento foi de 5,8% em comparação com o primeiro trimestre deste ano. Outro número positivo para o setor foi o crescimento no peso acumulado das carcaças, que subiu 8,3% em relação ao primeiro trimestre, com 860,23 mil toneladas. A produção de ovos de galinha também bateu recorde e somou 725,72 milhões de dúzias no 2º trimestre do ano, com um crescimento de 2,7% em relação ao primeiro trimestre.

No 2º trimestre de 2015, o abate de bovinos (7,63 milhões de cabeças) registrou quedas de 1,4% em relação ao trimestre imediatamente anterior e de 10,7% na comparação com o 2º trimestre de 2014. O abate de frangos (1,40 bilhão de cabeças) apresentou aumento de 1,5% em relação ao trimestre imediatamente anterior e aumento de 5,5% em relação ao 2º trimestre de 2014.

A produção de ovos de galinha registrou novo recorde com 725,72 milhões de dúzias, representando aumentos de 2,7% sobre o 1º trimestre de 2015 e de 3,9% sobre o 2º trimestre de 2014. A aquisição de leite cru foi de 5,64 bilhões de litros, quedas de 7,9% com relação ao 1º trimestre de 2015 e de 2,6% com relação ao 2º trimestre de 2014. A aquisição de unidades de couro cru inteiro de bovino foi de 8,09 milhões de peças, com quedas de 0,2% sobre o trimestre anterior e 11,9% sobre o 2º trimestre de 2014.

O abate de bovinos fica em 7,6 milhões e cai 10,7% com relação ao 2º trimestre de 2014. No 2º trimestre de 2015 foram abatidas 7,63 milhões de cabeças de bovinos. Essa quantidade foi 1,4% menor que a registrada no trimestre imediatamente anterior (7,74 milhões de cabeças) e 10,7% menor que a apurada no 2º trimestre de 2014 (8,54 milhões de cabeças).O peso acumulado de carcaças no 2º trimestre de 2015 (1,844 milhões de toneladas) foi 0,4% maior que o registrada no trimestre imediatamente anterior (1,837 milhões de toneladas) e 8,3% menor que o registrada no 2º trimestre de 2014 (2,01 milhões de toneladas).

Em nível nacional, o abate de 912,32 mil cabeças de bovinos a menos no 2º trimestre de 2015, em relação a igual período do ano anterior, teve como destaque quedas ocorridas em: Mato Grosso (-202,95 mil cabeças), Mato Grosso do Sul (-160,73 mil cabeças), Goiás (-131,29 mil cabeças), São Paulo (-130,05 mil cabeças), Minas Gerais (-82,37 mil cabeças) e Paraná (-58,70 mil cabeças). Parte dessas quedas foi compensada por aumentos em outras unidades da federação, com destaque aos ocorridos no Pará (+38,80 mil cabeças) e no Rio de Janeiro (+10,07 mil cabeças). No ranking nacional, Mato Grosso continua liderando o abate de bovinos, seguido por Mato Grosso do Sul e Minas Gerais.

 

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.

Leia mais