Café

A produção brasileira de café foi de 43,2 milhões de sacas em 2015

Segundo o informativo divulgado, as exportações brasileiras, até o mês de novembro do ano passado, foram de 33,8 milhões de sacas do produto

No ano passado, a produção brasileira de café foi de 43,2 milhões de sacas de 60 quilos, segundo dados do Informe Estatístico do Café, divulgado pela Secretaria de Política Agrícola (SPA) do Ministério da Agricultura (Mapa).

 

Segundo a publicação, as exportações brasileiras, até o mês de novembro do ano passado, foram de 33,8 milhões de sacas do produto, o equivalente a US$ 5,7 bilhões. O consumo interno foi de 21 milhões de sacas.

 

De acordo com dados da Conab, a colheita em 2015 representa redução de 5,3%, quando comparado com a produção de 45,64 milhões de sacas obtidas no ciclo anterior. Os cafezais somaram uma área de 1.922,1 mil hectares.

 

Minas Gerais
Na região Sul do Estado, houve manutenção da produção com incremento na produtividade, que compensou a redução de área cultivada. O Cerrado Mineiro registrou bienalidade negativa da cultura e intempéries climáticas de 2014 resultaram na maior redução percentual da produtividade no país. Houve redução de área em produção em função de intensificação de podas, tendo em vista uma recuperação da produtividade para a próxima safra. A Zona da Mata Mineira, apesar das adversidades climáticas, teve produtividade superior à safra de 2014, tendo em vista o ano de bienalidade positiva. O Norte de Minas teve estiagem severa na safra anterior que prejudicou a colheita.

 

Espírito Santo

A produtividade foi impactada pelo déficit hídrico, elevadas temperaturas e grande insolação em dezembro de 2014, janeiro e fevereiro de 2015, período de formação e enchimento de grãos, que levaram à má formação de grãos menores e mais leves.

 

São Paulo

A bienalidade negativa da cultura e intempéries climáticas de 2014 levaram ao menor crescimento dos ramos produtivos e à intensificação das podas. Altas temperaturas e baixo regime pluviométrico ocasionaram estresse hídrico nos períodos críticos da formação da safra de 2015, impactando na produtividade.
Bahia

No Atlântico, houve melhoria nos tratos culturais da lavoura e baixa restrição climática em fevereiro e março de 2015 que impactaram positivamente na produtividade das lavouras. No Cerrado, houve redução de área em função de outros cultivos.

 

Outros Estados produtores

No Paraná, houve aumento de área em produção em detrimento a área em formação. As condições climáticas favoráveis durante as fases de frutificação e granação, contribuíram para a elevação da produtividade média. Porém, o excesso de chuva prejudicou a colheita e ocasionou problemas na qualidade dos grãos. Em Rondônia, a cultura foi beneficiada por boas condições climáticas ao longo do ciclo, o que resultou em incremento de produtividade, recorde para o Estado. Em Goiás, cultura irrigada teve queda de produtividade em função de altas temperaturas.

Deixe seu comentário

Leia mais