DATA: 03/01/2016

7 dicas para fazer o controle eficiente de moscas, carrapatos e bernes

Com o controle correto, a produção aumenta junto com a qualidade e a rentabilidade do rebanho Gabriela Rodrigues

O clima tropical em grande parte do território brasileiro facilita o desenvolvimento de parasitas. Estudos apontam que um animal com infestação anual média de 20 a 40 bernes pode perder entre 9% e 14% do seu peso. No caso do animal infestado com 500 moscas-dos-chifres, a perda anual de peso vivo seria de quase 40 quilos, além do perigo de transmitir doenças e prejudicar a qualidade do couro.

 

Para auxiliar na prevenção do problema, o técnico do Senar Tayrone Prado explica a forma correta de combater essas infestações, para melhorar a saúde dos animais, o que colabora para aumento de produção e de rentabilidade do negócio. Confira o vídeo.

 

Confira sete dicas para o controle eficaz de ectoparasitas:

1 – O primeiro passo é a escolha do produto a ser utilizado, é necessário consultar um técnico especialista para que seja recomendado o produto correto para o caso. É importante informar em qual animal será utilizado o produto, pois pode haver período de carência, além de ser inadequado para determinada atividade, sendo ela pecuária de leite ou de corte.

 

2 – Faça a devida manutenção do local onde serão manuseados os animais. A condução dos animais precisa ser tranquila, evitando assim o estresse.

 

3 – Os materiais necessários são: frasco de ectoparasiticida com dosador, luvas descartáveis, máscara descartável e tronco ou brete de contenção.

 

4 – Após conter o animal, faça o calculo da dose a ser distribuída, de acordo com as informações da bula, a maioria dos produtos são dosados conforme o peso do animal.

 

5 – O local correto onde deve ser aplicado o produto é chamado de “linha imaginária”, que vai da nuca a calda do animal. É necessário derramar o produto de forma homogênea, é importante fazer uso de luvas durante a aplicação.

 

6 – Se houver contaminação, lave a área atingida com água corrente e procure atendimento médico.

 

7 – Faça a identificação dos animais tratados e documente a data da aplicação, para gerir melhor os custos do controle.


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.