ONU determinou que 2016 é o Ano Internacional das Leguminosas

Objetivo é conscientizar sobre os benefícios desses alimentos na nutrição, na agricultura sustentável e segurança alimentar

A ONU, por meio da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), declarou 2016 como o Ano Internacional das Leguminosas. O objetivo é incentivar atividades colaborativas com governos, empresas, entidades civis e organizações não governamentais para conscientizar a população sobre os benefícios desses alimentos na nutrição, na agricultura sustentável e na segurança alimentar.

 

Leguminosas são plantas com frutos do tipo vagem. Os exemplos mais conhecidos na alimentação são o feijão, a ervilha, a lentilha, a soja, a fava e o grão de bico. Essas culturas são fontes importantes de proteínas e fornecem nutrientes como ferro, magnésio, potássio, fósforo, zinco e vitaminas do complexo B. Também são ricas em fibras, pobres em gordura e têm baixo índice glicêmico (um indicador do efeito do açúcar no sangue).

 

O feijão, originário da América Central, é difundido em todo o mundo como a principal leguminosa comestível. A produção mundial nos últimos anos tem ficado em torno de 22 milhões de toneladas. O Brasil, a Índia e o Mianmar são os três principais países produtores.

 

Agricultura sustentável

As leguminosas podem ser usadas em diferentes sistemas de produção agrícola, como rotação e consórcio de culturas, além de servirem como plantas de cobertura para melhorar a fertilidade do solo. Um atributo importante é a capacidade dessas plantas de fixar biologicamente o nitrogênio no solo. Em simbiose com certos tipos de bactérias, elas transformam o nitrogênio atmosférico em compostos nitrogenados que podem ser utilizados pelas culturas em crescimento. Além disso, algumas espécies são capazes de liberar fósforo no solo, outro nutriente importante para as plantas.

 

De acordo com a FAO, as leguminosas também são usadas na alimentação animal, na produção forrageira, no reflorestamento e na produção de madeiras nobres – alguns exemplos são o jacarandá, a cerejeira e o jatobá. As informações foram divulgadas no site da campanha.

 

Deixe seu comentário

Leia mais