DATA: 04/02/2016

12 fatos que impedem o crescimento da olericultura no Paraná

A olericultura está presente em cerca de 13% das 300 mil propriedades familiares do Paraná

A olericultura é um segmento muito importante para o Estado do Paraná. A maioria dos produtores são familiares e a área média de cada propriedade é de aproximadamente 3 hectares. A olericultura está presente em cerca de 13% das 300.000 propriedades familiares existentes no Paraná.

 

O cultivo de olerícolas está difundido em todo o Estado, ao todo, 212 municípios exploram a olericultura em escala comercial. O número de produtores, segundo dados do Instituto Emater, está na faixa de 40.000 e as principais espécies cultivadas são batata, cebola, tomate, repolho, cenoura, couve-flor, pepino, alface, beterraba, pimentão, chuchu e abobrinha. A Região Metropolitana de Curitiba (RMC) é composta por 29 municípios, todos eles produtores de hortaliças.

 

A atividade é muito importante para o Estado, mas alguns fatores emperram o desenvolvimento da olericultura na RMC, confira:

1 – Falta de classificação, padronização, rotulagem e embalagens adequadas;
2 – Uso de agrotóxicos sem as devidas recomendações, ocasionando a intoxicação de produtores e trabalhadores, além dos consumidores;
3 – Falta de registro de defensivos para a maioria das hortaliças cultivadas;
4 – Falta de planejamento da produção;
5 – Falta de organização dos produtores para produção e comercialização;
6 – Uso excessivo de cama de aviário;
7 – Compactação do solo devido ao uso incorreto de máquinas;
8 – Intensa ação de intermediários na cadeia;
9 – Baixa produtividade em algumas culturas;
10 – Cultivo de hortaliças em áreas de mananciais;
11 – Falta de gestão da Propriedade;
12 – Packing houses ou casas de lavagem impróprias e água contaminada, ocasionando a contaminação do produto

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.

Leia mais